Representantes dos usuários do serviço de transporte (micro-ônibus), da Prefeitura, da Câmara de Vereadores, do Ministério Público (MP) e dos trabalhadores do sistema complementar participaram e contribuíram para o avanço e aperfeiçoamento do projeto que regulamenta o serviço em Jaboatão dos Guararapes durante audiência pública realizada na Casa Vidal de Negreiros. Agora, após as discussões, a proposta será levada ao plenário para votação pelos vereadores na próxima sessão ordinária, prevista para esta segunda-feira (22).

Durante o debate foram levantadas as dificuldades que precisam ser superadas pelos entes envolvidos na questão. Todos reconheceram, entretanto, que da forma como vem funcionando o sistema complementar não pode continuar, pois é ruim para usuários e também para os cooperados que operam os micro-ônibus. Os trabalhadores se queixam da falta de crédito para renovação da frota e na outra ponta os usuários reclamam do serviço ruim.

O Ministério Público, por sua vez, alertou que, tecnicamente, o sistema tem que ser metropolitano. “A lógica é que Jaboatão entre na licitação para concorrer. Há custos que são cobertos pelo sistema, que deve ser único na Região Metropolitana. Não podemos ter 14 sistemas diferentes”, afirmou o promotor Humberto Graça, titular da Promotoria de Transportes do MP.