O Tribunal de Contas do Estado julgou irregulares as contas de alguns secretários da gestão Elias Gomes referentes ao ano de 2011. Foram encontrados problemas em atos das Secretaria de Educação, Desenvolvimento Social, Cultura e Eventos e na Comissão Permanente de Licitação. A assessoria jurídica do ex-prefeito contesta conclusões e informa que irá recorrer.

Entre as irregularidades encontradas pelo TCE, havia pagamento incompatível de diárias com a qualidade de veículos contratados para transporte escolar, ausência de justificativa para valores pagos por shows contratados sem licitação e contratação de organização para capacitação de jovens que tinha entre os dirigentes pessoas com cargos na prefeitura ou parente de servidor comissionado.

A então chefe do Núcleo de Gestão Financeira da Secretaria de Educação, Deise Santos, e o então coordenador administrativo da Secretaria de Desenvolvimento Social, Bruno Pit, deverão recolher aos cofres públicos, R$ 22 mil e R$ 31,4 mil, respectivamente, solidariamente com a empresa Otoniel Barboza e Cia, contratada para o transporte escolar. Também tiveram as contas julgadas irregulares o então secretário executivo de Cultura e Eventos, Ivan Conceição, o assessor jurídico da mesma pasta, na época Luiz Neto, e a presidente da Comissão Permanente de Licitação, Edilma Ribeiro, assim como outros membros do grupo que atuavam em 2011.