Roseno

DR. ARMANDO MONTIERO FILHO
CANDIDATO AO GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO:

AUTOR:
DAVID PESSÔA DE BARROS.
PRESIDENTE DE HONRA DA UNEPPE
(União dos Escrivães de Polícia de Pernambuco).

RECIFE, 08 DE SETEMBRO DE 2014.

Doutor Armando Monteiro, até a presente data não temos ouvido o senhor falar para a classe dos Funcionários Públicos Civis do Estado de Pernambuco, muito menos, para aqueles que fazem a Segurança Pública da Sociedade Civil do Estado – OS POLICIAIS CIVIS E MILIATARES.

Eduardo Campos, em parceria com o seu Secretário de Administração Paulo Câmara acabou com todos os tipos de gratificações dos servidores públicos, sendo os mais prejudicados, os Policiais Civis e os Policiais Militares, inclusive os qüinqüênios, gratificação que vinham sendo pagas há mais de quarenta anos. Vale lembrar que todas as gratificações deletadas pelo governador foram criadas e implantadas através de Lei votada e decretada pela Assembléia Legislativa do Estado e Sancionada pelo próprio governador e publicada no Diário Oficial do Estado. Isto aconteceu entre os anos de 2012 e 2013.

DO PACTO PELA VIDA:
Esta política não diminuiu a criminalidade dentro do Estado de Pernambuco. Pelo contrário. Os crimes de homicídios vem aumentando assustadoramente. Os crimes contra a mulher também. A imprensa, uma das fontes mais confiáveis vem denunciando a pratica criminosa contra a mulher todos os santos dias. O consumo das drogas está aumentando tanto que nossos presídios estão com lotação esgotada. Os juízes vem dando liberdade a presos de condutas assassinas e outros porque não tem a onde mantê-los presos. Até as criança vem sendo vitimas de agressões e estupros, devido a impunidade reinante.

PACTO PELA SEGURANÇA E PELA VIDA DO POLICIAL:

Antes de falarmos em Pacto pela vida devemos falar de um PACTO DE VALORIZAÇÃO DAQUELES QUE EXECUTAM A ORDEM OU AS ORDENS PARA GARANTIR O IR E VIR DOS CIDADÕES PERNAMBUCANOS.

Não adianta gastar milhões e mais milhões de reais comprando armas possantes e caixas e mais caixas de munições para enfrentarmos uma sociedade desarmada, quando temos uma policia carente de tudo. Carente de recursos, de alimentos, de moradia, de cuidados médicos e até de segurança também. A maioria dos policiais residem em favelas, porque não podem comprar uma casa ou alugar um apartamento para morar condignamente. Não podem pagarem um plano de saúde para seus filhos e esposa e nem pagarem um colégio particular para estudos de suas crianças.

Para termos um trabalhador confiável, é preciso, antes de tudo, pagar-lhe um salário condigno. O Estado de Pernambuco, no Governo de Eduardo Campos, além de pagar um dos piores salários do país aos seus policiais, tanto civis como militares, ainda achou por bem acabar com todas as suas gratificações, passando por cima da própria legislação Estadual.

Esperamos doutor Armando Monteiro Filho, uma posição do seu futuro governo no que se refere não a Segurança Pública, mas aqueles que a executam ao risco de suas próprias vidas a Segurança Pública dentro do Estado de Pernambuco. O policial sendo bem pago, ele trabalha com alegria e mais disposição. Pode ser com viaturas ou sem viaturas ou mesmo a pé. O governo de Eduardo Campos só privilegiou com gordos salários e gratificações, os Delegados de Polícia e os senhores Diretores de Policia, esquecendo, todavia, de que, quem prende, quem dá ronda, quem executa vigilância, quem troca tiros com bandidos e com assassinos não é o DELEGADO NEM O CAPITÃO NEM O CORONEL, mas, os Agentes e Comissários de Policia, os Escrivães de Policia, que elaboram os inquéritos policiais, os Soldados, os cabos e os Sargentos-PM.

Aguardamos o vosso respeitoso e honrado pronunciamento. A família Policial espera com absoluta certeza de que em seu governo a Lei será respeitada e cumprida.

RECIFE, 08 DE SETEMBRO DE 2014.

DAVID PESSÔA DE BARROS.
Presidente de honra da Uneppe.
UNIÃO DOS ESCRIVÃES DE POLÍCIA DE PERNAMBUCO