Aprovar contas do município é um papel fundamental dos vereadores no entanto o Ministério Público de Pernambuco junto ao Tribunal de Contas rejeitaram as contas apresentadas de 52 prefeituras no estado de pernambuco. Segundo Agnaldo Fenelon de Barros, procurador-geral de justiça de Pernambuco, a prática é comum entre os vereadores que são da base aliada dos Prefeitos, eles simplesmente aprovam as contas sem justificativas claras. As Câmaras terão um prazo de no máximo 60 dias para realizarem seus julgamentos. O intuito é acabar com o chamado “julgamento político” dos legislativos municipais.

“O voto dos vereadores tem que ser igual ao do Poder Judiciário, o voto motivado, fundamentado. Quando a Câmara dos Vereadores aprovar uma conta (rejeitada anteriormente pelo TCE), cada vereador terá que dizer porque está aprovando, com a fundamentação legal. Não pode simplesmente rejeitar, sim ou não”, disse Fenelon.

Veja abaixo a relação das 52 Câmaras:

1- Abreu e Lima (7 contas); 2- Água Preta; 3- Águas Belas; 4- Aliança (4); 5- Altinho; 6- Barreiros (7); 7- Bom Jardim (2); 8- Brejão ; 9- Brejinho; 10- Cachoeirinha (2); 11- Calçado; 12- Camutanga (2); 13- Carpina (3); 14- Catende (4); 15- Chã de Alegria; 16- Chã Grande; 17- Correntes ; 18- Cortês (2); 19- Cumaru; 20- Dormentes; 21- Escada (3); 22- Feira Nova (2); 23- Frei Miguelinho; 24- Glória do Goitá; 25- Goiana; 26- Itambé (2); 27- Itapissuma (2); 28- Itaquitinga (5); 29- Jaboatão dos Guararapes (2); 30- Jaqueira; 31- Jucati; 32- Jupi; 33- Lagoa do Carro; 34- Maraial (2); 35- Moreno; 36- Orobó; 37- Passira (3); 38- Paulista (4); 39- Quipapá (2); 40- Ribeirão (4); 41- Sairé (2); 42- São João (2); 43- São José da Coroa Grande (6); 44- São Lourenço (4); 45- Tacaimbó (2); 46- Taquaritinga; 47- Tracunhaém (5); 48- Trindade (2); 49- Vertente do Lério (2); 50- Vertentes; 51- Vitória de Santo Antão; e 52- Xexéu.