Alunos da academia prestaram queixa na delegacia e querem o dinheiro das mensalidades antecipadas de volta. 

Alunos da academia Salutte, localizada no bairro de Candeias, em Jaboatão dos Guararapes, acusam o proprietário do estabelecimento de estelionato. O local está fechado desde a última quarta-feira(16) e muitos deles estão impossibilitados de praticar exercícios físicos. De acordo com alguns frequentadores, que pagaram planos semestrais e anuais, eles receberam uma informação de que o lugar passaria por reparos na rede elétrica. Mas, ainda segundo os alunos, no mesmo dia, o dono foi flagrado retirando todos os equipamentos da academia por volta das 23h.

Depois de uma confusão, os alunos e o proprietário foram parar na Delegacia de Prazeres. Os frequentadores prestaram queixa contra o dono do estabelecimento, que foi ouvido e liberado. A academia permanece fechada. O caso segue investigado pela delegacia de Piedade.

Em nota, através do perfil do Facebook, a academia informa que uma ação trabalhista que iria leiloar os equipamentos da academia, foi o causador do fechamento repentino do estabelecimento. 

Tivemos uma ação trabalhista cujo o valor inicial seria da ordem de 10 mil reais em 2012, quando não houve possibilidade de acordo. Fomos surpreendidos no dia 27/10/2016 pelo edital da vara do trabalho de Jaboatão com a comunicação que estariam sendo leiloados vários equipamentos e maquinário para pagar uma dívida de 48 mil reais (dívida essa referente a 12 meses de trabalho com um salário de 1.200,00 em 2012), o avaliador selecionou os equipamentos a dedo e colocou valores irrisórios como demonstramos a seguir.

Após vários recursos seguidos tendo sido negados a revisão dos valores ou adiamento do leilão. E várias negativas de acordos, informamos ao mesmo que os valores eram absurdos e que ele estaria prejudicando vários funcionários de uma empresa e vários alunos. Tendo o mesmo se recusado a se quer conversar (informamos ao mesmo que diante da crise que atravessa todo o país, estávamos tentado manter a academia aberta para a atender ao nossos alunos e dar emprego aos nosso funcionários, informamos também não estar havendo nenhuma retirada de pró-labore desde 2015 por parte dos proprietários).

Chegamos a solicitar a intervenção de pessoas amigas junto ao mesmo (como professora Samyra) e várias propostas de negociação como o pagamento no valor de 40 mil no valor de duas parcelas, feito no escritório do advogado, no qual o mesmo se recusou dizendo que não haveria nenhuma espécie de acordo (fomos informados que o mesmo já estava anunciando a abertura de uma academia). Como única saída para continuar funcionando e acreditando numa recuperação econômica como um todo a partir de meados de 2017 resolvemos retirar todos os equipamentos.

Fomos orientados que se anunciamos que iriamos retirar os equipamentos os mesmo poderia solicitar uma intervenção judicial para fechar toda a academia antes do leilão pelo que deveríamos mantes absoluto segredo até a data do leilão que ocorreu conforme o documento anexo no dia 17/10/2016.

Informamos que estávamos já planejando uma parada de 28 dias em janeiro quando faríamos uma melhoria geral na academia com a recuperação das maquinas, esteiras e bicicletas, recolocação de novo piso, climatização das salas de musculação, nova faixada com aumentos das áreas de ginastica, remodelação total da recepção (moveis já adquiridos) entre outras melhorias (para este recurso estamos negociando um imóvel por valor abaixo do mercado acreditando que em 2017 seriamos beneficiados todos, proprietários, professores e alunos). Estava em andamento um processo de transformar a empresa em condomínio nos quais poderiam participar os atuais proprietários, professores e demais interessados.

Esperamos contar com a colaboração de todos visto que nos anos de 2015 – 2016 trabalhamos como principal objetivo prestar serviço a comunidade em função de nossa responsabilidade cívica, combater a crise e termos esperança em um futuro melhor. Repudiamos veementemente pessoas que não fazem parte do quadro de professores ou alunos e outros que embora tivessem frequentado e usado a nossa academia por um valor diário menor do que o pagamento do estacionamento do shopping center não tiveram a menor consideração.

Esclarecemos que estamos estudando processar por calunia e difamação todos os assim agiram.
Agradecemos a todos que ao ouvir nossas explicações iniciais, nos apoiaram e nos incentivaram.
Prometemos que (embora estejamos atravessando a maior crise econômica financeira pela qual o país passa) faremos todos os nossos esforços para continuarmos a oferecer melhores condições a nossos colaboradores e nossos alunos.

Anexamos para apreciação dos alunos o relatório que demonstra as vendas de outubro de 2015 e outubro 2014, salientamos que 2015 já estávamos com o faturamento reduzido diante da crise que viemos atravessando.