Curados

Do Jornal do Comercio

O município de Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, é o segundo na lista de cidades mais populosas do Estado, com cerca 680 mil habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mesmo com o número expressivo e o crescente aumento de moradores, a cidade dispõe apenas de um parque – o Parque Histórico Nacional dos Guararapes – para atender toda a população e visitantes. Foi pensando em mudar essa realidade que surgiu o Movimento Central Parque dos Curados, que propõe a criação de um parque urbano numa área de aproximadamente 20 hectares localizada na confluência das BR-232 e BR-408, que dá acesso ao Terminal Integrado de Passageiros (TIP), no Recife, e à Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata.

A ideia de transformar o terreno em um espaço de lazer e de práticas esportivas surgiu no ano passado, por parte dos próprios moradores da área, e ganhou força nas redes sociais. No Facebook, o grupo do movimento já conta com mais de mil integrantes. De acordo com Antonio Albuquerque, um dos idealizadores da iniciativa, a proposta é criar um espaço com áreas públicas voltadas para atividades esportivas, culturais e de lazer. “Queremos um local onde as famílias que moram no entorno possam levar os filhos para passear com segurança, praticar exercícios e que garanta mais qualidade de vida para essas pessoas. Jaboatão não dispõe de nenhum espaço desse tipo”, explica o funcionário público.

O projeto proposto pelo Movimento Central Parque dos Curados prevê a criação de pistas de cooper e de skate, ciclovia, concha acústica, lago artificial, campinho de futebol, e áreas verdes, onde devem ser plantadas espécies nativas da mata atlântica. “Além de proporcionar um espaço de lazer para as pessoas, queremos preservar o meio ambiente e contribuir para o desenvolvimento sustentável da área”, afirma Antonio Albuquerque.

O terreno em questão é de propriedade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e atualmente abriga algumas ocupações irregulares. “Para os moradores, os benefícios são diretos, pois teremos um local adequado para a prática de esportes e também para a socialização familiar e comunitária. Atualmente não temos um local apropriado para isso. Moradores da região arriscam a vida ao longo das BRs para poder praticar exercícios”, alerta o auxiliar administrativo Luiz Fernandes, residente nas proximidades.

Embora o projeto ainda esteja dando os primeiros passos, a proposta já foi apresentada ao Dnit e à Prefeitura de Jaboatão durante uma reunião para tratar do assunto. Em nota, o Dnit informou que aguarda a apresentação de um projeto técnico, detalhando informações sobre o parque a ser construído para posterior análise. “Um projeto como esse beneficiaria não só a população, mas a cidade como um todo. Seria um referencial enorme para Jaboatão”, avalia Antonio Albuquerque.