Por Abraão Martins: Estamos a poucas semanas da Copa do Mundo, e parece que nada mudou na cabeça dos nossos governantes, só a cobiça, aumentou e muito.

Antes, todas as obras oferecidas como soluções para os problemas de mobilidade, muitas sem a mínima necessidade, eram justificadas com a vinda do mundial, agora, que estamos com a Copa praticamente à nossa porta, nada saiu como previsto, nem os custos e nem as obras.

Fora os estádios, que diga-se de passagem, um luxo de desperdício de dinheiro público, nada ficou pronto. Na internet não faltam vídeos e artigos falando mal da copa, pudera, uma parcela dos brasileiros, aqueles que realmente querem a mudança, não concorda com tanto investimento focalizado no problema errado.

O Governo Federal, em resposta , vez um vídeo (abaixo) onde dá uma “satisfação” sobre os gastos e investimentos nas construções  faraônicas dos estádios. Falando que todo mundo entendeu errado e que as coisas não são bem assim como falam, enfim, prestação de contas depois de tanta repercussão negativa, não cola mais.

A grande verdade é que, usaram a copa para superfaturar todo tipo de construção: pontes, avenidas, desapropriação, viadutos, sistemas de trens e metrôs, BRT, etc. mas, nada ficará pronto a tempo – pelo menos não como previsto.  Aqui em Recife, o número de obras inacabadas só aumenta, junto com a precária situação do nosso trânsito. De carona, Jaboatão dos Guararapes e Olinda vão absorvendo as demandas de mobilidade de Recife, criando um caos ainda maior. Fora que, calcule o caos que serão para os empresários em dias de jogos do Brasil, faturamento zero e trânsito caótico, mesmo que o jogo seja em outro estado.

Nada contra o esporte, nada contra futebol, mas se o nosso povo fosse mais politizado como é “futebolizado” teríamos outra realidade. Nossas demandas são muito menores que os padrões que a FIFA exige e mesmo assim não conseguimos atendimento delas. O grande problema é que, para as construções exigidas para o mundial, os recursos logo apareceram, e não fizeram economias. Temos hospitais, escolas, praças e faculdades públicas prometidas a décadas e nada sai do papel, vivemos um caos social velado. Mas antes que você acredite que todos os estádios foram construídos com dinheiro que será devolvido pela iniciativa privada e pela arrecadação de shows e eventos, se pergunte, e pra onde esse dinheiro vai? Vivemos nessa sopa de letrinhas de impostos que não muda nada aos nossos olhos, infelizmente, qualquer protesto realizado hoje contra a copa, está pelas minhas contas, atrasado em 7 anos, pois deveríamos ter sido ativos em 2007, quando o Brasil ganhou o sorteio para sediar. Agora, só resta esperar que não aconteça aqui o que houve na África do Sul em 2010.

Infelizmente, por 30 dias, viveremos um conto de fadas e teremos que nos comportar, pois teremos visita em casa, sorrindo o tempo todo e falando maravilhas do nosso país, assim espera o governo.

Enfim, é ano eleitoral, já sabemos quem foi a favor ou não aos absurdos que presenciamos, cabe a nós revermos nossos conceitos antes de votarmos.